31 de março de 2011

Ontem e hoje dois filmes vistos, All That Heaven Allows de Sirk e The Fighter de David O. Russell. All That Heaven Allows é o retracto da sociedade hipócrita, cruel, que vive de aparências. Melodrama, romance, história de amor assombrada (e que sombras as de Sirk!) pelo preconceito, pelo materialismo, pelo medo da sociedade. Sirk vai contra muitos valores que na altura eram fomentados pela sociedade americana, é um “puta que os pariu” a toda aquela classe social, à sua conformidade social, aos riquinhos, àquele american the way of life, aos próprios filhos que um dia também “voarão”. E por isso aquela disparidade de idades entre eles, para acentuar o tal “puta que os pariu”. E Todd Haynes veio buscar tudo aqui para o seu Far From Heaven. The Fighter não é um grande filme (nem lá perto) mas aguenta-se, é um bom filme ou direi antes eu gostei. Tem duas ou três coisas muito boas, a interpretação do Bale (já dito e redito milhentas vezes), a realização do Russel e o sentido humanístico do Micky (o Wahlberg), a sua relação quase que altruísta para com o irmão. De resto, coisa já vista no Rocky ou no Raging Bull (sem chegar aos calcanhares desses) mas perfeitamente ao nível dum Million Dollar Baby.

3 comentários:

Sam disse...

Por acaso, até nem achei muita piada ao The Fighter...

Close up! disse...

Do Fighter tenho a dizer que não é um filme para ser levado a sério...
Tem boas interpretações e bons personagens e vale pelos seus momentos cómicos (muitos mais do que à partida se poderia supor...)

José Rodrigues disse...

gostas disto? tanto um como o outro dão-me vómitos pá!