1 de abril de 2011

The Quiet Man (1952)
John Ford

The Quiet Man é Ford em estado cristalino, filme de amor à terra antes do amor à vida, nostalgia duma Irlanda desconhecida. Foda-se, The Quiet Man irrompe pelo ecrã e transpira tudo o que de melhor podemos encontrar no cinema. Não é só a nostalgia, não é só o humor, é tudo mais que isso, tudo tão belo, tão indescritível, uma beleza radiante naquela história de redenção, do recomeço, do desejo da tranquilidade, da procura da felicidade. É o mundo de Ford com todas as suas ilusões, idealidades e humanismos. Ford procura tanto os campos, procura tanto a ruralidade daquela Irlanda fantasiada, procura e procura e consegue encontrar nostalgia, beleza, valores, amor, tão longe e tão perto do seu Monument Valley, consegue criar aquele mundo perfeito, coisa idílica, utópica. Esplêndido.

4 comentários:

Sam disse...

Para mim, a melhor interpretação do John Wayne. E dos poucos filmes de John Ford que vejo, revejo e "rerevejo" com prazer.

Cumps cinéfilos.

João Gonçalves disse...

é sim esplêndido. Adoro tudo neste filme, especialmente o par de protagonistas.

Álvaro Martins disse...

Sam, não digo que seja a melhor interpretação dele mas uma das melhores é certamente ;)

João, também adorei o filme e por falares nos protagonistas acho que a O'Hara foi uma das grandes actrizes de Hollywood injustamente esquecidas.

Pedro D. M. Teixeira disse...

Bom se já gostava muito de Ford antes de ver este filme.. agora não sei o que diga. Um filme absolutamente esplêndido, uma verdadeira obra-prima :)