25 de dezembro de 2009

Os 10 melhores filmes da década 2000

Transe de Teresa Villaverde (2006)



Ver a crítica aqui e aqui






Dealer de Benedek Fliegauf (2004)



Ver a crítica aqui







A Londoni Férfi de Béla Tarr (2007)



Ver o post aqui






Delta de Kornél Mundruczo (2008)



Ver a crítica aqui






No Quarto da Vanda de Pedro Costa (2000)



Ver o post aqui






Gerry de Gus Van Sant (2002)



Ver a crítica aqui






Liverpool de Lisandro Alonso (2008)



Ver a crítica aqui






Vozvrashcheniye de Andrei Zvyagintsev (2003)



Ver a crítica aqui






Iklimler de Nuri Bilge Ceylan (2006)



Ver a crítica aqui






Inland Empire de David Lynch (2006)



Ver a crítica aqui






E com muita pena minha ficam de fora os restantes:

Requiem For a Dream de Darren Aronofsky (2000)
The New World de Terrence Malick (2005)
Werckmeister Harmóniák de Béla Tarr (2000)
Hunger de Steve McQueen (2008)
XXY de Lucía Puenzo (2007)
Uzak de Nuri Bilge Ceylan (2002)
Two Lovers de James Gray (2008)
Mulholland Dr. de David Lynch (2001)
4 luni, 3 saptamâni si 2 zile de Cristian Mungiu (2007)
Into the Wild de Sean Penn (2007)
Taxidermia de György Pálfi (2006)
Zemestan de Rafi Pitts (2006)
Freedom de Sharunas Bartas (2000)


Flávio Gonçalves, Roberto F. A. Simões, Tiago Ramos e Álvaro Martins

9 comentários:

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Muito boa a lista. Nota-se a grande coerência estética de todos os filmes. Acho que alguns destes títulos também são os melhores para mim :)

Tiago Ramos disse...

Da tua lista tenho muito para conhecer. Mas os que conheço concordo! :)

Roberto F. A. Simões disse...

Muito boa lista, provavelmente. Desses 10 ainda só vi o GERRY.

Para mim, guardá-la-ei como uma lista de recomendações.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

João disse...

A tua lista é bastante interessante, mas já estava à espera de algo parecido com isto já que acompanho este teu espaço :)

Faltam-me ver alguns destes

Abraço!

Fifeco (Filipe Ferraz Coutinho) disse...

O Into the Wild deveria ter constado na lista :p

Como diz o Tiago, ainda tenho muito para descobrir.

Abraço

Neuroticon disse...

Como gosto de listas bastante ecléticas penso que a tua lista peca por ter todas as entradas demasiado parecidas, todas com marcada influência Tarkvosky/Tarr (mas que no fundo, mostram o teu gosto e aquilo que gostas de ver, e não há nada a dizer portanto).
Eu também sou apreciador desse tipo de cinema, no entanto acho que uma lista dos filmes que mais marcaram a década deve incluir títulos mais díspares!

Não deixa de ser uma grande lista com algum do melhor cinema dos anos 00 e amelhor de todas as que tenho visto por blogs que existem por aí. :) Parabéns!

João disse...

Os do Lynch e o "Londoni Ferfi" do Tarr são obras-primas absolutas. Os do Malick e o do Aronofsky são brilhantes, o resto tenho de ver... mas muito boa lista, não haja dúvida... :)

Álvaro Martins disse...

Obrigado a todos pelos elogios.


Victor, isso só prova o bom gosto cinéfilo que partilhamos :)

Roberto, espero que consideres bem essa lista ;) Quero ver umas críticas no Cineroad.

Fifeco, o Into The Wild é um grande filme, muito bom mesmo mas não tem lugar num top 10 ;)

Neuroticon, embora se revele mais acentuadamente nessa veia Tarkovskyana e em Tarr(este já se influencia em Tarkovsky), temos filmes completamente distintos mas unidos pela estética, pela arte de filmar e contar uma história. E sim reflecte a minha preferência, o meu gosto cinéfilo.

Deckard disse...

gostei a lista. é no entanto um ponco ingrato este tipo de exercício, porque corremos o risco de deixar de fora filmes que provavelmente não merecem. mas enfim...
A lista reflete um gosto particular de um cinema mais erudito e estético, preocupado sempre com a beleza visual e a forma como esta é filmada.
Posso dizer que já vi a maioria desses filmes e que concordo que a maioria deles são filmes marcantes da década.
Discordo, no entanto que se diga que a lista deva possuir filmes mais díspares. Qualquer uma destas listas reflete um gosto pessoal e logo ser díspare ou não é relativo.