5 de dezembro de 2009

Andrei Tarkovsky & Sergei Parajanov: Islands (1988)

Um documentário de Levon Grigoryan









7 comentários:

Pedro disse...

Vale a pena?

Álvaro Martins disse...

Vale muito a pena. É um interessante testemunho de amigos dos dois cineastas sobre a amizade deles e da diferença artística entre os dois. Fala também da influência política no cinema dos dois russos, nas marcas que a morte de Tarkovsky deixou em Parajanov, etc. Muito bom para quem se interesse nestes dois mestres.

Pedro disse...

Eu do Parajanov nunca vi nada, mas como adoro Tarkovsky, já deve valer a pena.

Álvaro Martins disse...

Eu também ainda só vi dois filmes de Parajanov, o Shadows of Forgotten Ancestors e o Sayat Nova. Não tem nada a ver com Tarkovsky, artisticamente e visualmente é semelhante a Pasolini.

Neuroticon disse...

Pasolini também me agrada, não conhecia Parajanov mas parece que é um cineasta a seguir.

Btw, coloquei-te nos sítios a visitar lá no meu blog :)

Álvaro Martins disse...

Pasolini foi outro génio, mais controverso, mais artisticamente cru e burlesco. Mas acima de tudo era também um cineasta bastante filosófico e poético tal como estes dois russos.
Parajanov é um cineasta a seguir com certeza, eu próprio ainda pouco conheço dele e continuo a descobrir aos poucos a sua obra.

Obrigado, tu também já tas nas minhas recomendações ;)

Flávio Gonçalves disse...

Descobri hoje este documentário... é sem dúvida um grande registo, uma homenagem inesquecível... Adorei.

E Parajanov, que não conheço, pode muito bem tornar-se um dos meus preferidos quando vir algo dele :)

Adorei, obrigado pela sugestão!