27 de dezembro de 2010

Copie Conforme (2010)

Copie Conforme desdobra-se na palavra, complexa-se na auto-reflexão (daquele casal em crise emocional de meia-idade) sobre a mudança, sobre o tempo. O que foi e o que é, a perca do romantismo, a carência da paixão que se desvanece com o tempo, com a idade. A imensidão do espaço que o trabalho ocupa numa relação, a ausência da cumplicidade pretendida. Copie Conforme deambula pela arte (e por aquele fascinante décor, pelo espaço que as personagens ocupam, pelo olhar de Binoche, pela expressividade daquele casal) e suas questões de original/cópia para atracar na insistência de reanimar o romantismo (confundido com amor) perdido. Copie Conforme é claramente (e a isso atesta a evasão à simplicidade a que nos habituou) o filme mais europeu de Kiarostami.

5 comentários:

João Gonçalves disse...

Adorei! foi dos melhores filmes que vi lançados este ano.

Álvaro Martins disse...

Também gostei muito e tendo a concordar com isso ;)

Flávio Gonçalves disse...

Foi sem duvida um dos melhores deste ano. Adorei o filme também :) E o próprio Kiarostami se viu aflito com esta produção, que disse como era tão europeia ficou longe do seu método "vagabundo" de trabalho, onde ele era o seu próprio produtor eheh

DiogoF. disse...

Fabuloso. Dos melhores do ano. E tão diferente de tudo o que ele já fez.

Tiago Ramos disse...

Concordo, dos melhores do ano.