29 de abril de 2009

Doctor Zhivago (1965)

Um filme de David Lean













Sempre pensei em David Lean como o mestre dos épicos, um cineasta com uma capacidade enorme de criar maravilhosas obras heróicas, sublimes. “Doctor Zhivago” trazia a árdua tarefa de preceder a outros dois grandiosos épicos de Lean, “The Bridge On The River Kwai” e “Lawrence of Arabia”. Qualquer cinéfilo que se preze já deve ter visto pelo menos uma vez este clássico esplendoroso de David Lean, pelo que não me vou alongar. Quero principalmente frisar que já não se fazem épicos desta qualidade, desta beleza. Uma história de amor em tempo de guerra sem cair na lamechice a que hoje em dia estamos habituados a ver nas grandes produções. Mas “Doctor Zhivago” não se cinge a contar uma história de amor, faz-nos sobretudo reflectir na vida, nas escolhas que fazemos, nos chamados “os acasos da vida”. Acho que David Lean reflecte sobretudo no destino, no “que tinha de ser”. “Doctor Zhivago” transporta teor histórico com a Revolução Russa, ficção com um conto de amor e uma reflexão inerente a toda a obra de Pasternak. É sem dúvida uma obra-prima este clássico de David Lean.

3 comentários:

Fifeco disse...

Eu tenho o filme em DVD à espera de ser visualizado. A verdade é que a sua duração afastou-me um pouco da mesma. Talvez nas férias me dedique ao clássico.

Abraço

Álvaro Martins disse...

É pena ouvir isso porque é um grande filme e tenho a certeza que vais gostar pois já percebi que aprecias bastantes os grandes clássicos.

Abraços

Fifeco disse...

Por acaso tens razão. Não há nada como um grande clássico a meu ver :p

Abraço