3 de outubro de 2010

Sim, depois de tudo Cal é finalmente “ressarcido” com o (tardio) amor do pai quando este está às portas da morte (incrível o acaso entre a proximidade da morte e a redenção alcançada). Mas mais importante de apreender é que (apesar de toda a ausência de afecto por Cal) o alistamento do irmão é preponderante para este desfecho. Porque embora Cal não mate Aron (como Caim matou Abel), a verdade é que aquele pai iria sempre preterir Cal, a verdade é que Abra (embora o ame) iria igualmente sempre preterir Cal. É mais do que inadaptação entre Cal e Aron, é incompatibilidade (como a foi entre a mãe e o pai), é a “competição” pelo amor do pai. E é nisso que se resume East of Eden, na “competição” pelo amor do pai. Tudo porque aquele pai (fervorosamente religioso e recto) nunca demonstrou o seu amor por ele.

5 comentários:

Neuroticon disse...

Concordo!

Por acaso até estava á espera de mais! Prefiro em tudo o Rebel Without A Cause (que não vi hoje)...

Álvaro Martins disse...

São filmes diferentes. Já os vi (aos dois) n de vezes e não sei de qual gosto mais.

Flávio Gonçalves disse...

Ia ver o East mas acabei por não fazê-lo... anda um bocado complicada, aqui a vida ;)

Mas o Rebel já tinha visto e posso dizer que é um filme interessante... mas, sei lá, nada que me vire do avesso mesmo, no bom sentido.

Rogolagos disse...

Muy buen blog
muchos saludos desde Chile.
lo dejo dentro de mis favoritos

pasa por el mío cuando puedas
http://vidaen35mm.blogspot.com/

Álvaro Martins disse...

Flávio, fizeste mal em não ver :) Eu gosto muito do filme e do Rebel Without a Cause também. Quando vires diz o que achaste.

Obrigado Rogolagos.