23 de julho de 2011

Persona (1966)
Ingmar Bergman

11 comentários:

Neuroticon disse...

O melhor de sempre?

;)

Álvaro Martins disse...

Naaaa ;) mas um dos melhores sim, indiscutivelmente. E é daqueles filmes que vejas as vezes que o vires descobres sempre mais, prende-te sempre ao ecrã...

Neuroticon disse...

Completamente! Já o vi uma mão cheia de vezes e gosto sempre tanto! É sempre tão vital e único! Tão surpreendente e humano...
Irrepetível pá :)

Pedro D. M. Teixeira disse...

Um filme para ver e rever muitas vezes.. pessoalmente prefiro outros do Bergman, mas sem dúvida que este é um daqueles filmes marcantes da 7ªarte!

Abraço

Anónimo disse...

é fixolas, mas não é nenhum sétimo selo u.u

Neuroticon disse...

É melhor que o Sétimo Selo!

Álvaro Martins disse...

Bem melhor Neuroticon ;)

Jorge disse...

Do Bergman tenho uma especial afeição para com o Fanny and Alexander, mas este Persona é capaz de ser a sua obra mais enigmática, mais poderosa e por isso mais intemporal.

abraço

Enaldo disse...

É o Bergman de que mais gostei.

Álvaro Martins disse...

Ainda não vi tudo de Bergman (Fanny och Alexander incluído) mas deve ser o seu melhor filme sim, seguido de muito perto do Vargtimmen.

Fernando Oliveira disse...

"Persona" é um grande filme, e embora goste muito do Bergman que questiona a crueldade da ausência (de Deus, ou outras como aqui), o meu filme preferido do autor é o que mostra a crueldade da realidade da vida: "Sommaren med Monika". Aquele plano em que os olhos tristes de Monika (a sublime Harriet Anderson) nos confrontam é um autêntico murro no estômago.