20 de fevereiro de 2011

2 comentários:

Neuroticon disse...

Não vi nada deste Jia Zhangke (!)... Que tens a dizer sobre ele como cineasta? :p

Álvaro Martins disse...

É cineasta de memórias, daquilo que vi dele parece-me que o que lhe interessa é reflectir ou mostrar a mudança cultural e social da China, o seu cinema passa todo por essa exposição, por um realismo exacerbado preocupado nas memórias das pessoas, no que foi e no que ficou, nessa mudança social, cultural e económica. Interessa-lhe isso. A mise-en-scène aprendeu-a certamente com os grandes mestres (Tarkovsky, Dreyer, Tarr, Angelopoulos, Ford...).