27 de janeiro de 2010

Hoje bati com o carro. Culpa minha. E depois de tratar de tudo no seguro e na oficina lembrei-me que Benigni é que tinha razão, enquanto há vida há esperança. E a vida é bela.

7 comentários:

Roberto F. A. Simões disse...

E que encontres no cinema o apaziguamento, porque a situação já é chata que baste.

Já que estamos numa de inconfidências, o primeiro e único (e último, espero) acidente que tive na vida foi quando vinha da compra do DVD d'O PIANO. Saí de casa propositadamente. A 10 metros de chegar a casa, uma mota veio contra mim e puff. A culpa não foi minha, mas odiei a sensação.

A seguir fui ver O PIANO.

Desabafos.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Flávio Gonçalves disse...

Podes crer que tem :)

Álvaro Martins disse...

Obrigado Roberto. É sempre desagradável uma situação destas, principalmente quando, como no meu caso, a culpa é nossa. A sorte é que é que foi pouca coisa e ninguém se aleijou.
O Piano é um bocado deprimente para ver logo a seguir a um acidente, não achas ;)

Roberto F. A. Simões disse...

Por acaso é, sim. Mas já tinha agendado na minha cabeça que ia ver o filme e não foi o acidente que me alterou a agenda ;D Não sei se foi da pancada, mas adorei o filme.

(Não terá sido, certamente)

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Álvaro Martins disse...

Não, é um bom filme. Nada de excepcional mas um bom filme.

Abraços

Ritinha disse...

Eish!

Que o episódio seja uma sumida memória em pouco tempo. Já que o aborrecimento tende a ser elevado com essas cenas =\

Álvaro Martins disse...

Obrigado.