28 de maio de 2009

Le Mépris (1963)

Um filme de Jean-Luc Godard

















O cinema dentro do cinema. Bardot filmada como uma deusa. Palavras são irrelevantes. Como é belo "Le Mépris"!

7 comentários:

gonçalo jordão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gonçalo jordão disse...

Como é belo, de facto...E aquele inacreditável formato scope? O qual o Fritz Lang, a páginas tantas, diz ao Picolli que é bom para 'filmar cobras e caixões'!...

Li no Verão passado o livro do Moravia, fonte para este filme - e é maravilhoso, rugoso, brutal.

Já agora - gostei desse desafio das melhores séries que anda a rolar pela blogosfera. Vou fazê-lo.

Um abraço!

G.J.

Álvaro Martins disse...

Belíssimo. E a B.B. está mesmo fantástica, digo até que o filme foi feito para ela, a sua personagem não podia ser interpretada por outra actriz.

Sim, lembro-me bem dessa parte do Lang dizer que é bom para filmar cobras e caixões. E noutro momento, quando a Bardot lhe diz que tinha estado a ver o filme dele com a Dietrich , ele diz-lhe que prefere o M. Seria o Lang ou o Godard a falar?

Nunca li o livro do Moravia, mas já outros me disseram o mesmo que tu. Vou tentar arranjar.

O desafio? Força, faz.

Abraços

Paulo Soares disse...

Fabuloso filme que têm o poder de nós fazer querer revê-lo sempre que se volta a falar nele.

Agora fiquei com curiosidade pelo livro do Moravia, acredito seja algo especial. Vou tentar procurar.

Álvaro Martins disse...

Completamente Paulo, uma maravilha de filme.
E já somos dois a ver se conseguimos então encontrar o livro do Moravia.

Silvana disse...

É verdade, Sigur Rós é algo divino *-*
Agradeço imenso pelo comentário e tenho que dizer que adorei o teu blog.

volta sempre*
bom fim de semana :)

Álvaro Martins disse...

Obrigado pelo elogio. Volta também tu sempre aqui ao meu canto.
Bom fim-de-semana também para ti. :)